Asset Publisher Asset Publisher

Back

Webinar da OMS aborda regulação de sangue

REGULAÇÃO

Webinar da OMS aborda regulação de sangue

Anvisa participou de seminário virtual promovido pela Organização Mundial da Saúde sobre regulação de sangue eficaz.
Por: Ascom/Anvisa
Publicado: 07/08/2020 14:56
Última Modificação: 07/08/2020 15:31

Ao longo desta semana, a Anvisa participou de um Webinar promovido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre o fortalecimento dos sistemas nacionais de sangue através da regulação de sangue eficaz (Strengthening Blood Systems through Effective Blood Regulation).  

Realizado no período de 3 a 6 de agosto, o seminário virtual teve como objetivo sensibilizar os participantes sobre a importância da regulação de sangue, as melhores práticas e os elementos de um sistema regulatório eficaz.  

Na ocasião, a Anvisa apresentou o tema “Regulação de sangue no Brasil: uma visão geral (Blood regulation in Brazil: an overview)”. A palestra esclareceu sobre a política de sangue brasileira e o modelo regulatório. Além disso, destacou as ações da Agência, em parceria com as Vigilâncias Sanitárias locais, no processo de monitoramento e de fiscalização dos serviços de hemoterapia.  

A apresentação ressaltou ainda os resultados da redução de riscos sanitários observados nos últimos dez anos, que são monitorados pela Anvisa por meio de indicadores estratégicos.  

É importante esclarecer que, no Brasil, o sangue e hemocomponentes são considerados produtos biológicos não passíveis de registro sanitário, produzidos em serviços de hemoterapia (bancos de sangue), sob regras de boas práticas de fabricação aplicadas ao ciclo do sangue, a partir de doações voluntárias, sendo considerados produtos e serviços sob vigilância sanitária. Desta forma, todo serviço de hemoterapia deve estar regularizado junto à Vigilância Sanitária.  

Saiba mais sobre o Webinar  

O seminário virtual foi realizado no contexto de uma nova ação lançada pela OMS, o Quadro de Ação (Action Framework) para a promoção do acesso universal a produtos sanguíneos seguros, efetivos e com garantia de qualidade (2020-2023).  

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, o objetivo dessa ação é “garantir que cada Estado-Membro tenha um quadro nacional apropriado de controles regulatórios, normas nacionais e programas de avaliação da qualidade. Para esse fim, cada Estado-Membro deve ter mecanismos reguladores estabelecidos para realizar a revisão pré-mercado, registrar, licenciar e certificar os estabelecimentos e produtos derivados do sangue, bem como as substâncias associadas. Padrões nacionais e especificações mínimas de produto e desempenho, diretrizes nacionais para boas práticas de fabricação (BPF) em serviços e hospitais de sangue, práticas de transfusão e uso clínico de sangue, hemovigilância e farmacovigilância, bem como gerenciamento da qualidade, devem ser desenvolvidos e implementados”. 

Quer saber as notícias da Anvisa em primeira mão? Siga-nos no Twitter @anvisa_oficial, Facebook@AnvisaOficial, Instagram @anvisaoficial e YouTube @anvisaoficial